No dia 10 de novembro, a Microsoft dará início à sua nova geração de consoles com o Xbox Series X e Xbox Series S. Com o passar do tempo, é comum que a companhia comece a dar mais prioridade para os novos videogames e deixe de lado os modelos atuais: o Xbox One, Xbox One S e Xbox One X. Nesta época de troca de geração, os consumidores sempre fazem uma pergunta comum e bastante pertinente: ainda vale a pena comprar um Xbox One?

Veja também:

No início da oitava geração, o Xbox One não começou com o pé direito. Diversas decisões atrapalharam o seu lançamento, fazendo com que o público não tivesse tanto interesse por ele. Foi após a chegada de Phil Spencer, chefe da divisão Xbox, que as coisas começaram a andar. Com Spencer no comando, muitas novidades e ferramentas foram implementadas, mudando bastante o estilo da marca Xbox.

Atualmente, o Xbox One tem dois pontos bem positivos que valem a pena o dinheiro investido: a retrocompatibilidade e o serviço de assinatura Xbox Game Pass. Existem outros tópicos, mas estes dois são os mais importantes para a Microsoft, tanto que estes itens também estarão presentes no Series X/S. Confira, a seguir, os motivos pelos quais comprar um Xbox One.

Siga o The Squad no Twitter e fique por dentro das novidades!

5Xbox Game Pass

O Xbox Game Pass é um dos melhores serviços de videogames. Foto: Reprodução/Xbox

Sem dúvidas nenhuma, o Xbox Game Pass foi um dos melhores acertos da empresa nos últimos anos. A possibilidade de poder jogar diversos jogos com um único plano de assinatura é perfeita para os consumidores que não têm tanto dinheiro para ficar comprando games com uma certa frequência.

O catálogo do serviço contém mais de cem games para todos os gostos. Todos eles estão disponíveis imediatamente logo após assinar o plano e inclui títulos de empresas grandes, como a CD Projekt Red e Capcom, e de estúdios pequenos que estão começando a desenvolver jogos, como a Moon Studio. Graças à retrocompatibilidade, games do Xbox 360 e Xbox original também entram na biblioteca do serviço.

Entre alguns jogos que estão no plano ou que já passaram por ele, estão Resident Evil 7, The Witcher 3: Wild Hunt, Ori and the Will of the Wisps, Spiritfarer, Batman: Arkham Knight, The Outer Worlds, Darksiders 3, Tell Me Why e demais.

Entretanto, o Game Pass é um serviço rotativo — ou seja, para que novos games cheguem ao catálogo, é necessário que alguns jogos sejam substituídos. O pequeno problema é que não existe uma clareza de até quando um determinado jogo estará no plano e isto pode causar uma certa frustração. Geralmente, os títulos ficam pelo menos mais de três meses na biblioteca.

Além disso, todos os jogos exclusivos da companhia são lançados simultaneamente no mercado global e no Xbox Game Pass no primeiro dia de lançamento. O serviço de assinatura está disponível para Xbox One e PC.

4Retrocompatibilidade

Com a retrocompatibilidade é possível jogar jogos do Xbox 360 no Xbox One. Foto: Reprodução/Xbox

Uma das coisas chatas na troca de geração é quando um jogo que gostamos muito não recebe um remake ou um remaster para os novos consoles, ficando apenas disponível nos videogames antigos.

Pensando nisso, a Microsoft lançou o sistema de retrocompatibilidade, que permite que os usuários possam jogar e comprar games do Xbox 360 e Xbox Original no Xbox One. Por exemplo, os fãs do primeiro Red Dead Redemption — que estava apenas disponível no PlayStation 3, PC e no Xbox 360 — podem jogar novamente o título da Rockstar no modelo atual. O melhor ainda é que, caso você não tenha comprado o game no console anterior, é possível comprá-lo para o mais recente.

O sistema deu tão certo e foi tão abraçado e bem recebido pela comunidade que a Microsoft irá implementá-lo nos vindouros Xbox Series X/S. Isto significa que tanto os jogos do Xbox One como de modelos mais antigos do Xbox funcionarão nos videogames de nova geração.

Além disso, a retrocompatibilidade não ficará apenas nos jogos. A companhia confirmou que acessórios do Xbox One, tais como controles e alguns headsets, também terão a funcionalidade implementada nos novos consoles da empresa. É mais uma atitude pró-consumidor que ajuda bastante aqueles que não têm muito dinheiro para gastar com videogames.

3Jogos Exclusivos

Gears 5 é o último título da franquia lançado. Foto: Reprodução/Xbox

Um dos grandes problemas da Microsoft e da divisão Xbox nesta atual fase foi a falta de games exclusivos que, ao que tudo indica, irá mudar para melhor nos próximos anos. Comparado ao rival PlayStation 4 (PS4), o Xbox One não tem uma grande galeria de títulos únicos. Mesmo assim, existem alguns jogos que valem a pena conferir.

Existem três grandes franquias de games que, quando mencionadas, nos fazem lembrar da marca Xbox: Gears, Halo e Forza. Em toda geração, pelo menos um projeto de cada uma dessas três sagas é lançada nos consoles da corporação.

Um dos pontos positivos sobre os exclusivos da Microsoft é a oportunidade que eles dão para estúdios e jogos indies. Graças a isto, muitos títulos independentes fizeram sucesso no Xbox One, tais como Cuphead, Ori and the Blind Forest, Ori and the Will of the Wisps, Spiritfarer, Tell Me Why e muitos outros.

Apesar disso, é notável a carência de grandes projetos AAA na empresa, que precisa ser consertada com uma certa urgência. Querendo ou não, títulos exclusivos são um dos fatores decisivos na hora de comprar um console.

2Preços e Modelos

À esquerda está o Xbox One X e à direita o Xbox One S. Foto: Reprodução/Xbox

Ao longo dos oito anos de existência do Xbox One, algumas versões do console foram lançadas posteriormente. Ao todo, foram quatro modelos que chegaram ao mercado, incluindo o primogênito.

O Xbox One e o PS4 padrão deram início à oitava geração de videogames. Como de costume, no começo, os novos consoles ocupavam bastante espaço físico e tinham um desempenho menor comparado aos novos modelos lançados. Mesmo assim, eles são bem importantes.

O Xbox One “Fat” está custando em média R$ 1.800 e ocupa bastante espaço. Ele contém leitor de disco e possui apenas 500 GB de armazenamento. Além disso, como ele é um hardware velho, alguns jogos podem ter um desempenho abaixo do esperado. A culpa não é do videogame em si, mas dos estúdios que não fizeram um bom polimento e otimização dos games.

Logo em seguida, o Xbox One S chegou ao varejo como uma nova opção para os fãs da marca. Ele é bem menor que o One padrão e não ocupa tanto espaço fisicamente. Ele possui 1 TB de armazenamento interno e está custando em torno de R$ 2.200.

O Xbox One S All Digital possui as mesmas características que o One S, porém ele não possui leitor de disco. Como o nome sugere, ele é totalmente digital. Seu preço médio é entre R$ 2100,00 e R$ 2400,00, mas a sua produção chegará ao fim até o final de 2020.

Por fim, em 2017, a Microsoft lançou o Xbox One X, uma versão superior aos modelos acima e considerado o videogame mais poderoso já lançado. Ele possui suporte à resolução 4K, tem 1 TB de armazenamento e também é menor que o Xbox One padrão. Atualmente, o seu preço gira em torno de R$ 3.100, mas a sua produção também chegará ao fim no final de 2020.

Como o Series X e Series S serão lançados em novembro, é bem provável que todos esses valores acima fiquem ainda menores com tempo devido ao foco do público e dos varejistas nos novos videogames.

1Jogos do Series X no Xbox One

Halo Infinite estará disponível no Xbox Series X e no Xbox One. Foto: Reprodução/Xbox

Como dito no início deste artigo, é comum que os jogos parem de ser lançados para os consoles atuais e comecem a ser desenvolvidos apenas para os novos. Isso não acontece rapidamente e é um processo que dura pelo menos um ano, mas é um pouco desaminador pois força o consumidor a comprar logo o console inédito para ter as novidades.

Com isso, a Microsoft teve mais uma atitude pró-consumidor e disse que, nos próximos dois anos, os games lançados para o Xbox Series X/S também estarão disponíveis no Xbox One. Assim, o usuário ainda poderá aproveitar alguns lançamentos e terá tempo o suficiente para conseguir dinheiro para imigrar para a nona geração de consoles.