Depois do impacto do lançamento do M1 pela Apple e do acirramento da disputa com a AMD no segmento de custo-benefício, a Intel estreou o primeiro dia da CES 2021 nesta segunda-feira (11) com vários anúncios cobrindo tanto o mercado de desktops quanto o de notebooks. Algumas novidades possuem previsão de chegada ainda no primeiro trimestre e você pode conferi-las a seguir.

Veja também:

Core i9-11900K

O novo processador topo de linha da fabricante, o Core i9-11900K chegará às prateleiras ainda no primeiro trimestre deste ano. A Intel fez uma última prévia do processador na CES 2021 antes do lançamento oficial do topo de linha e da 11ª geração (Rocket Lake-S). De acordo com a Intel, a nova geração traz 19% mais instruções por ciclo, gráficos integrados 50% melhores e melhor performance de IA.

intel ces 2021
A promessa é de que a estreia seja em breve e equilibre a balança novamente em favor da Intel. Foto: Reprodução/The Verge

O novo topo de linha possui 8 núcleos, 16 threads e alcança frequências de até 5.3GHz com o Boost, além de ter suporte para memória DDR4 RAM a 3,200MHz. Apesar de ser um processador de 11ª geração, o Core i9-11900K ainda foi feito com o processo de produção de 14 nanômetros, pegando “emprestadas” algumas das melhorias do processo de 10nm.

Apesar da contagem menor que o Core i9-10900K (que tinha 10 núcleos e 20 threads), a Intel diz que o novo processo de fabricação compensa a diferença e ele terá um desempenho melhor que seu antecessor.

Siga o The Squad no Twitter e fique por dentro das novidades!

Processadores de 11ª geração da Série H

A Intel também anunciou a primeira leva de processadores da Série H na 11ª geração, porém fez o inverso da versão de desktop: começou anunciando a versão mais simples com consumo de 35W. O novo topo de linha do segmento de 35W, o Core i7-11375H, teria um desempenho similar aos topos de linha do segmento de 45W do ano passado.

Um notebook “básico” com potência de topo de linha não é nada mal. Veremos vários comparativos com o M1 com certeza. Foto: Reprodução/The Verge

Os novos chips possuem suporte a Wi-Fi 6 ou 6E, suporte integrado a Thunderbolt 4, a memórias DDR4 com frequência até 3,200 MHz ou LPDDR4/x até 4,266 MHz e PCIe Gen 4.0. Já para processamento gráfico, as empresas de hardware poderão escolher entre usar os chips Xe-LP ou optar por gráficos dedicados de empresas como a NVIDIA.

Os primeiros notebooks anunciados usando os novos chips de 11ª geração H35 devem anunciar seus produtos já nesta CES. Provavelmente veremos opções da Acer, Asus, MSI e da Vaio, sendo que a Intel espera que até 40 outros modelos sejam lançados no primeiro semestre de 2021.

12ª geração pretende desafiar M1 no fim do ano

Como não poderia deixar de ser, a Intel aceitou o desafio proposto pelo M1 e anunciou, durante a CES 2021, que lançará ainda esse ano sua resposta, os processadores híbridos Alder Lake. Eles terão uma abordagem similar ao BIG.little da ARM que usa processadores de alto desempenho combinados com processadores de alta eficiência, alternando o uso de acordo com a demanda.

intel ces 2021
Núcleos de alto desempenho combinados com núcleos para eficiência energética nasceram “no celular” e vão ganhar os PCs. Foto: Reprodução/The Verge

Os modelos de 12ª geração contarão com uma versão “nova e melhorada” do design de 10 nanômetros SuperFin já apresentado nos processadores de 11ª geração, Tiger Lake. Porém, eles terão uma combinação de núcleos de alto desempenho, chamados de Golden Lake e núcleos com foco em eficiência chamados Gracemont (os núcleos do Tiger Lake são chamados de Willow Cove).

Apesar da falta de maiores detalhes, a intenção de expandir a iniciativa de criar chips que abracem todas as categorias de dispositivos partindo de uma base com foco em tecnologia móvel. É uma resposta bem clara de que o desafio do M1 foi aceito, resta apenas esperar a segunda metade do ano para descobrir o quanto isso vai dar certo. E fiquem de olho porque, em breve, também teremos novidades da AMD.