A franquia Star Wars ganhou uma nova perspectiva na última semana com o lançamento do anime Visions, exclusivo no serviço de streaming Disney+. A ideia de unir a famigerada obra de George Lucas com o estilo anime (uma tendência bastante popular nos dias de hoje) deu um novo refresco para a saga que não tem agradado muitos fãs nos últimos anos.

Veja também:

Star Wars: Visions
Cada história de Visions conta uma aventura totalmente inédita. Foto: Reprodução/Disney+

Para trazer à “vida” o primeiro ano do seriado animado, a LucasFilm conversou com vários estúdios japoneses e no fim escolheu sete deles. Os escolhidos foram Trigger, Kinema Citrus, Studio Colorido, Geno Studio, Science Saru, Production I.G e Kamikaze Douga — responsáveis por animes como Attack on Titan, The Rising of the Shield Hero, Darling in the FranXX e muitos outros. A série funciona no formato de antologia — ou seja, são aventuras independentes uma das outras.

Mas Visions não é apenas o universo de Star Wars com os traços característicos das animações japonesas, a produção vai muito além disso. Cada capítulo traz consigo aspectos culturais do país nipônico e a visão deles para com a ópera espacial. Isso engrandece ainda mais os episódios, pois a maneira como eles enxergam os Jedi, os Sith, a Força e demais elementos é bem diferente do olhar que nós do Ocidente temos.

Todos as jornadas são únicas. Apesar da maioria ter os mesmos aspectos da obra, tais como bem contra o mau, lutas com sabre de luz e uso da Força, a maneira que cada capítulo trata eles é completamente distinta. Alguns não preferem se arriscar tanto e ficam na fórmula padrão, enquanto outros assumem a responsabilidade e mudam sem medo alguns componentes importantes da saga e ainda apresentam temas que ainda não foram explorados no cânone. Entre os exemplos estão como a Força é usada como instrumento de criação de vida e o fato de um Sith não ser necessariamente alguém mau.

O grande trunfo de Star Wars: Visions é a total liberdade criativa que os estúdios tiveram. Não precisar se preocupar com as amarras do canon permitiu a criação de muitas histórias interessantes e, até mesmo, melhores que algumas produções da cronologia oficial. Sem dúvidas, algumas tramas apresentadas no anime poderiam facilmente ganhar uma continuação em uma segunda temporada, ou até mesmo em alguma nova série ou filme. Se a LucasFilm quiser, é possível até mesmo inserir algumas produções na cronologia oficial, ma não há necessidade.

Essa falta de compromisso com a linha do tempo oficial até traz um questionamento muito pertinente para com outras franquias do cinema, como a Marvel Studios: será que todos os filmes e programas de uma mesma marc precisam estar sempre conectados?

Siga o The Squad no Twitter e fique por dentro das novidades!

Star Wars: Visions
Tecnicamente, Star Wars: Visions possui uma qualidade impecável. Foto: Reprodução/Disney+

Ainda sobre as narrativas, nenhuma delas termina com pontas soltas. No entanto, as jornadas são tão boas, interessantes e intrigantes que, quando acabam, ficamos na ânsia de querer ver mais delas.

Um último ponto aqui: se você gosta de animes, mas nunca viu Star Wars antes, pode assistir Visions tranquilamente. Como mencionado nos parágrafos acima, a independência fora do cânone que a produção tem permite a ausência de conhecimento do telespectador.

Além disso, outra qualidade excepcional da antologia são os estilos de cada capítulo. Assim como as histórias são bem ímpares, os traços de cada animação também são. Aqui temos estilo 2D, 3D e uma mistura dos dois tipos anteriores. A qualidade técnica de todos os episódios está espetacular, em nenhum momento a animação deixaram a desejar. As cenas de luta também estão fluidas, as trilhas sonoras quando aparecem nos momentos importantes e necessários dominam a tela e engrandecem ainda mais as histórias e os cenários de todas as tramas estão lindos — cada um tem a sua própria identidade.

Por preferência, eu assisti ao anime com o áudio japonês. As vozes de todos os personagens estão maravilhosas e escutar frases impactantes de Star Wars, como “Que a Força esteja com você”, é uma sensação bem prazerosa. Se você assistiu muitos animes ao longo dos anos, há grandes chances de você identificar dubladores japoneses famosos, como foi o meu caso ao reconhecer a voz da Masako Nozawa — a dubladora do Goku. Em dos episódios, ela dá a voz ao protagonista.

Para concluir, Star Wars: Visions é uma das melhoras produções de Star Wars já feitas na história. A fusão entre anime e a franquia caiu como uma pena nas mãos da LucasFilm e Disney. É uma mina de ouro que, se for bem trabalhada e explorada, trará excelentes frutos para a saga e novos fãs.