Space Force, série de comédia protagonizada por Steve Carell e John Malkovich, estreou recentemente na Netflix. Além desses dois atores, o seriado tem um belo elenco de peso, com Lisa Kudrow, Ben Schwartz, Jimmy O. Yang, Tawny Newsome, entre outros. Com essa equipe, eram de se esperar momentos cômicos inesquecíveis, porém não é isso o que acontece.

Veja também:

Adrian Mallory é o melhor personagem de Space Force. Foto: Divulgação/Netflix.

O público acompanha general Mike Naird, membro da Força Aérea americana que foi promovido a chefe do programa espacial Space Force e que tem objetivo de colonizar a lua até 2024. Para isso, ele terá ao seu lado o cientista-chefe Adrian Mallory (Malkovich) e uma equipe de cientistas que o auxiliará a cumprir esse objetivo. Além disso, Naird deve conciliar seu tempo no trabalho com sua filha Erin.

A partir disso, o seriado mostra o cotidiano da divisão espacial. Sem dúvidas, a dupla Naird e Mallory é a melhor de todas. As personalidades opostas dos personagens fazem com que o público se interesse por eles e queira ver mais momentos dos dois juntos. De um lado temos um renomado cientista que sempre procura a razão e a ciência para solucionar problemas, enquanto do outro temos um militar sem conhecimento científico nenhum para a situação, que utiliza da improvisação ou da solução mais rápida para tomar decisões. Ao longo do tempo, os personagens começam a se simpatizar um pelo outro e entendem o jeito de como cada um funciona. A partir disso, temos vários momentos sarcásticos e engraçados e até mesmo algumas inversões de personalidade entre os dois.

Com essa dupla, temos vários momentos de comédia, como instruir um chimpanzé a consertar um satélite espacial, em que um é a favor e outro é contra mandar o animal para o espaço para resolver o problema. Embora seja uma situação engraçada, ela não tira do público altas risadas, na verdade ela acaba perdendo a graça, pois leva muito tempo para ser finalizada. E talvez esse seja o problema do seriado: a longa duração de algumas piadas que acabam fazendo com que o telespectador enjoe da cena.

Apesar de ser uma catástrofe, o seriado ainda tem esperança. Foto: Divulgação/Netflix.

Se o núcleo de uma vida cotidiana de uma divisão espacial funcionou bem na série, a família de Naird nem tanto: houve um desperdício de oportunidades. Por exemplo, a esposa de Mike, Maggie (Lisa Kudrow), está presa por algum motivo que apenas os personagens de Space Force sabem, mas o público não. Em vários momentos, o seriado indica revelar a razão pela qual ela foi presa, mas nunca acontece, sendo cansativo e repetitivo. Talvez, em uma possível segunda temporada, teremos a revelação do que houve com Maggie. A filha do casal, Erin também não foi muito aproveitada. A personagem não tem uma função, ela fica perambulando durante todo o programa. Tanto as atrizes quanto as personagens foram desperdiçadas.

Em vários momentos, a vontade de largar o programa era imensa, porém a química entre os personagens era tão gostosa que conseguiu me levar até o final do programa. Não me importava tanto com a história, mas sim com a interação entre Naird e Mallory, Dr. Chan e Capitã Ali, o general-secretário Brad com o assessor Tony, são personagens interessantes que conseguem ser engraçados em alguns momentos, porém o roteiro é tão fraco que faz com que o público se desinteresse pela série.

No fim, Space Force tem vários momentos truncados e lerdos que fazem com que o telespectador largue da série logo nos primeiros episódios. Ao mesmo tempo que temos bons momentos de comédia, eles são facilmente esquecíveis por causa dos problemas acima. Resumindo, o seriado não encontrou o tom certo. Espero que, em um possível novo ano, eles resolvam este problema, pois o programa conta com um elenco de primeira que, infelizmente, foi ofuscado e mal aproveitado.