Depois de mais de um ano e meio nas sombras, o Universo Cinematográfico Marvel retornou. Para trazer o público de volta, a Marvel Studios não iniciou sua Fase 4 com um filme, mas sim com uma série: WandaVision. A obra foi o primeiro passo do UCM no Disney+, plataforma de streaming da gigante do entretenimento, e é protagonizada por Wanda Maximoff (Elizabeth Olsen) e Visão (Paul Bettany).

Veja também:

Foto: Reprodução/Disney+

O programa conta com nove episódios e mostra a vida do casal em Westview, uma pacata cidade no interior dos Estados Unidos. Apesar de ser uma narrativa bem simples, nem tudo que acontece em Westview é o que parece, o que deu à produção um toque de mistério e suspense — e o surgimento de várias teorias dos fãs.

Além disso, WandaVision não segue a famigerada “Fórmula Marvel” — história, comédia e ação, final bom. O show abandona esse conceito para algo que não é novo, mas que nunca tinha sido utilizado antes no UCM: o gênero Sitcom.

Sitcoms sempre estiveram presentes na história da televisão e se tratam de um tipo de programa que coloca pessoas comuns em situações de humor em locais cotidianos do povo. Algumas também são caracterizadas pela presença de uma plateia, como em peças teatrais. É um formato que não fica cansativo pois há várias ocasiões cotidianas que podem ser adicionadas no contexto de humor. Alguns exemplos de produções que seguem esta fórmula são The Office, Brooklyn 99, Todo Mundo Odeia o Chris, Parks and Recreation, The Good Place, Friends, Sienfeld, Modern Family e muitos outros.

O que WandaVision fez foi adaptar o seu universo para esse gênero, de uma forma muito bem planejada e pensada, que, em um primeiro momento, pode não fazer sentido, mas tudo se encaixa no final da trama. Para isso, o estúdio voltou 70 anos na história da televisão americana, analisou e se inspirou nas Sitcoms mais famosas das décadas, prestando homenagens em cada episódio.

O primeiro capítulo, que acontece nos anos 50, é uma homenagem e uma inspiração ao programa The Dick Van Dyke Show e à I Love Lucy; nos anos 60, foi A Feiticeira, e assim se manteve ao longo dos outros episódios, até chegar no momento em que deixamos de lado o sitcom e voltamos totalmente ao Universo Marvel. Essa transição é sutil em alguns momentos, enquanto é completamente escrachada em outros.

Por ser uma homenagem à televisão norte-americana, o público brasileiro não teve a mesma ligação com as homenagens. Não estou dizendo que amamos menos a série, mas sim que não pescamos algumas referências e trejeitos dos personagens, pois os programas honrados não eram transmitidos toda a hora e em todo lugar do Brasil. Não é algo que está enraizado em nossa cultura.

Siga o The Squad no Twitter e fique por dentro das novidades!

wandavision
Foto: Reprodução/Disney+

Apesar de Wanda e Visão estarem presentes em vários filmes da Marvel, o casal nunca teve um aprofundamento merecido. Se olharmos para trás, o relacionamento deles nunca foi trabalhado, foi apenas jogado de cara para o público, pois, nos quadrinhos, ambos acabam se casando e tendo filhos, e isso tinha que acontecer também no UCM. Observe o retrospecto:

  • Era de Ultron: Wanda e Visão se conhecem e acabam tendo apenas uma frase com o outro;
  • Guerra Civil: Os personagens estão mais próximos, sugerindo que há algo mais, mas não é detalhado;
  • Guerra Infinita: Os heróis já estão em um relacionamento há anos;
  • Ultimato: Wanda está triste pela perda do seu amor.

Está vendo como foi rápido o crescimento do casal? Na cronologia dos filmes, até pode ter existido o tempo necessário, mas, para o público, isso nunca foi apresentado.

O que WandaVision fez, então, foi apresentar o relacionamento dos personagens, como eles se comportam juntos, como brigam, pelo que eles se apaixonaram um pelo outro, entre outras características que existem em uma relação. E foi uma experiência maravilhosa e divertida, pois me apeguei ainda mais pelos personagens e torcia pelo sucesso deles.

Elizabeth Olsen e Paul Bettany estão ótimos nos papéis. Sem dúvidas, os dois estão no auge das interpretações com seus personagens e conseguiram nos conquistar em apenas nove episódios. Se eu já gostava deles com pouco tempo de cena antes, aqui então não tenho palavras. O grande destaque vai para a atriz, que melhorava na atuação a cada episódio.

Além deles, também temos o retorno dos personagens Jimmy Woo (Randall Park) e Darcy Lewis (Kat Dennings). Apesar de terem uma participação em tela menor, os dois atores dão um show de atuação também e a dinâmica de seus personagens flui muito bem, surpreendentemente. Embora o agente do FBI e a doutora em astrofísica não tenham sido tão aprofundados quanto outros personagens, foi impressionante como a presença deles na série funcionou muito bem.

wandavision
Foto: Reprodução/Disney+

Sobre os personagens novos, os grandes destaques são Agnes (Kathryn Hahn) e Monica Rambeau (Teyonah Parris). A primeira é o estereótipo da vizinha intrometida e divertida que quer saber tudo o que está acontecendo na vida da Wanda. Enquanto a segunda personagem – que já apareceu em Capitã Marvel, mas como criança, – retorna como uma adulta crescida e agente da SPADA, uma organização que monitora ameaças na Terra.

Aqui, ambas acabam entrando em algumas zonas clichês da Disney, principalmente Agnes, mas isso não é um ponto negativo. Clichês são muito bem-vindos quando são trabalhados de maneira certa, mas eu acredito que certos detalhes sobre elas deveriam ter sidos explicados. É óbvio que a Marvel apenas plantou as sementinhas para que o futuro delas continue em outras produções, porém faltaram alguns diálogos que poderiam fazer a diferença. Não entrarei em mais detalhes para evitar spoilers.

No final, WandaVision foi um excelente início da Fase 4 da Marvel Studios. As coisas ainda podem estar um pouco nebulosas para alguns, mas tudo fará sentido no fim. Com diálogos marcantes e cenas memoráveis, o seriado conta uma história introspectiva de Wanda e Visão que, antes, nunca havia sido contado no UCM. Os personagens evoluíram bastante, aprenderam e cresceram com seus erros e estão prontos para a próxima aventura.

Já foi confirmado que Wanda estará presente no filme de Doutor Estranho 2, que será uma sequência direta do seriado. O que nos resta saber é: o que ela está fazendo ali? De acordo com a cena pós-crédito do último episódio (os três últimos episódios contém cenas extras), ela está indo atrás de duas pessoas. Será que o Mago Supremo vai ajudá-la ou impedi-la no fim?